Pages

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Carta de um orkuteiro

Queria eu que você entendesse que nesta página pessoal eu não sou além de uma caricatura. Não sou nada do que um punhado imaginado de ilusão.
Já tenho 435 amigos, mas posso te dizer que só três deles continuam a ligar para saber como estou. Na maioria das vezes justifico minhas faltas como sendo um Momento meu, minhas conquistas e aventuras. No fundo, eu sei, que os amigos são importantes e quem me dera poder contar com os 435 que estão por lá.
Não se assuste com os números. Gostaria eu que os números demonstrassem a realidade dos sentimentos que se passam pela minha mente, que eles pudessem expressar que algumas vezes estou cansado, outras sozinho e tantas outras desmotivado. Na maioria das vezes as pessoas que não estão no meu Orkut são as que me fazem levantar.
Em particular, também não se impressione com as fotos do meu Orkut. A camera fotografica pode ser uma máquina de quimeras quando bem focalizada. Retiramos daqui a beleza da flor, outras um punhado de gente e outras tantas situações que as fotos diz mais do que eu estava sentindo no momento. Sou obrigado a tirá-las para provar as pessoas onde estive e com quem, sinceramente, não sei mais guardar recordações particulares na memória. Fotos não contariam a verdade por de traz dos sorrisos e dos abraços. Não contariam que a verdade não consegue ser registrada na amplidão, tudo está em recortes...e eu fiz deste albúm meu mosaico. Ainda bem.
Não se importe se elas mostram uma pessoa interessante, arrojada e viajada. Na maioria das vezes passo meus finais de semana sozinho, contando mentiras pela internet e evitando meus familiares porque já desaprendemos a falar a mesma língua.
Na minha solidão para tudo achei justificativas. Os amigos que mudaram, as pessoas que não estão na mesma sintonia, amores que não fizeram nada para dar certo. Não sou eu, juro.
Falando em me justificar as comunidades dão o tom de como eu gostaria realmente que me visse: interessante, atualizado, intencionado e otimista. Não pense que eu não acredito em tudo que está por lá, mas talvez não conheça tudo o quanto desejo e que faria mais juz as minhas aspirações. São os pequenos compromissos que assumi diante da vida: discutir sobre sociedade, transformação ou qualquer coisa que impressione. Será que só esse esforço basta?
Não querida, não me queira pela aquela brincadeira tola de viver. As vitrines das vaidades são imensas, mas tudo faz parte da minha invenção para continuar vivendo.

José

2 Palavras conexadas:

Nícholas Fernandes Gimenes disse...

comecei a ler o post armado, mas tenho q dar o braço a torcer em algumas coisas, me fez pensar e talvez a agir diferente, vou pensar mais :-P rsrs ah mas não é culpa do orkut, ver as fotinhas e frases e comunidades dos outros é mó dá hora! rs :D

ana laura disse...

Pois é. Não só você como milhares de pessoas. Fico triste em ver alguns valores mudados e as amizades transformadas em comunicações descomprometidas. Em que a estampa é o paremetro para se acreditar feliz.
Fico triste em perceber que a gente se transformou em sorrisos vazios. Apesar de ter encontrado alguns amigos no orkut e ver as fotos de sua atual vida, isto não faz com que a minha saudade acabe...e claro, eu só terei um vislumbre do que a pessoa é, se tornou e a forma que ela vive. Mesmo assim uma ferramenta a mais no mundo das comunicações.
Solidão..todos nós reclamamos. Mas estamos num momento em que as máquinas são as nossas melhores companheiras ou excelentes fugas.
Tenho dificuldades de conversar com alguém de óculos, MP4-5-6-7-XIX e ainda mandando mensagem pelo celular. Onde esta pessoa se esconde? Como me aproximar? Será que ela se importaria?
Nossa, tenho tanta coisa para falar...um dia consigo colocar tudo que penso da indiferença, do individualismo e egoismo que nos corroeu...Criamos canais de comunicações que nos permite esquecer a importancia que nossa amizade tem.