Pages

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Avós são eternos dentro de nossos corações.


Ela sempre foi meu tudo tanto meu ar quanto minha vida.
Hoje é parte da minha história, uma lembrança boa a minha música suave.
Lembro do seu cheiro, da sua risada e de como brigava comigo, de estar acordada me esperando tarde da noite, das nossas conversas, nossos sonhos de como sempre foi a flor mais bela do jardim da minha vida. Hoje estou com seu chinelo japonês, lembra?
Avós não deveriam morrer nunca, avós são pra sempre, seja aqui ou lá. Avós são alicerces de toda uma família.
Ela vive dentro de mim como um sonho bom.
Não há um dia certo para te homenagear, meu amor já diz tudo. Não há um dia certo pra te lembrar, minhas lágrimas me condenam. Não há palavras e sim um sentimento de gratidão.
Te Amarei sempre e sei que estás aqui do meu lado, sempre! Te amarei e sei que um dia estaremos juntas como sempre foi!
Obrigada por ter me dado a sua vida, por ter feito dos meus sonhos os seus.
Obrigada por ser sempre o meu mais lindo Anjo!
Conceição meu anjo 2 anos de saudades e de muita gratidão!
Que todos as vovós e vovôs sejam muitos amados sempre!!


Tati, hoje conseguindo deixar em palavras o amor que sente e sempre sentirá pela mulher forte de olhos azuis que Deus enviou para ser sua Avó!


Eu guardei algumas coisas na sua ida: seu brinco de rubi faltando um par, o broche de borboleta riscado, sua tesourinha de bordado, suas agulhas de tricô, as colchas de crochê e todos os paninhos que você pintou a mão. Guardei o sorriso da Raquel de Queiroz no teu. Alecrim amargo, mas que faz bem ao coração.
Lembro da íris desbotada e a certeza de sua partida. Eu não sou santa, mas sabia. Você sabia.
A chuva de sol que derramou naquele dia, eu era a ultima a dizer tchau.
Eu tenho estado ainda chorosa, às vezes te sonho robusta. Mesmo assim, quanta dor ainda carrego. Eu que aprendi que a vida é mais além, me ensinaram tão cedo. Só que está mais invisível agora. Aprendi a cuidar de plantas. Minha mãe se culpa pela sua ida, passa aqui e liberta ela. Liberta a nós todos.
Era a cobrar no seu aniversário, no dias das mães, no dias dos avôs. Foi ontem, parabéns. Cara de pau como sempre. Amo-te. Se quiser um dia, ainda quero te ter como minha pequena, nem sei se vou ser mãe, mas vem ficar comigo de novo.
Ana Laura

2 Palavras conexadas:

Taty e Ana disse...

É minha amiga.... na dor e no amor e não tinha tema melhor para iniciarmos o nosso primeiro post duplo... Sei que nossas avós estão lindas e sorridentes olhando por nós!! Te amo! Taty.

ana laura disse...

E a Raquel que foi comparada a Beleza estonteante da minha avó Severina, não poetisa, não escritora...talvez nem alfabetizada. Mas que entendia de ervas como ninguém (maconha ela até plantou, mas quando descobriu rancou a planta em enfartos, kkkk),
O lobisomem era seu vizinho e um jaú gigante já tentou comê-la.
Passou fome, sede, pegou malária... era realmente uma severina. Tento me lembrar das histórias porque muitos netos ficaram pequenos, o nosso folclore doméstico, íntimo e aconchegante.
Tentava se curar de muitas dores invisíveis, que talvez não foram tão invisíveis e eu é que não soube ver.
Nunca amou...nunca desejou. Foi seca a vida dela. Floriu em nós, isso eu sei, só em nós!