Pages

domingo, 9 de novembro de 2008

Devaneios II


Enquanto todos dormem eu me reencontro na minha verdadeira paz.
O silêncio me consome ao ponto de me fazer sorrir.
E eu tento me traduzir em palavras que na verdade não existem tradução.
Doce ilusão....
A minha vida segue em pausas e vírgulas.
E temo o dia em que o ponto surgir.
Contradição!
Tudo dorme lá fora.
E eu aqui dentro junto com minhas palavras e uma imaginação nada fértil.


Taty Roéfero 09/11/2008

1 Palavras conexadas:

mary disse...

A expressão do ser, muitas vezes se traduz em palavras simples mais com uma consistência de conteúdo íntimo muito forte!!! Só assim podemos nos conhecer melhor amiga.... Bjssssss adorei... nota 1000000000000!!!!!